O segredo do vovô


             A história que você vai ouvir hoje, não é uma história contada por uma vovó de cabelos brancos, sentada na cadeira de balanço, fazendo tricô com seus óculos na ponta do nariz... a história de hoje vai ser contada por uma netinha nem tão inha assim. 
     Nossa história não aconteceu há muito tempo atrás  e nem em uma terra tão distante daqui, mas nada disso nos impede de começar nossa história desse jeito...

         Era uma vez, em uma cidade da baixada fluminense no estado do Rio de Janeiro, uma menininha com 6 anos de idade, rabo de cavalo que balançava para lá e para cá, com algumas janelinhas na boca e muitas dúvidas na cabeça. Por imprevistos do destino foi morar,com seus pais, na casa do vovô e da vovó.
    A vovó amou a ideia e foi logo encher a dispensa com coisas gostosas para sua netinha, que nessa época era inha ainda.
   Já  o vovô, que era meio rabugento, ficou um pouco bravo. Como ele ia ouvir a voz do Brasil no rádio com uma netinha correndo e brincando de um lado para o outro? Como ele ia ver sua novela na mesma TV que sua netinha iria ver o desenho?

      A netinha até tentava agradar o vovô, mas sapeca como era as vezes tentando agradar deixava o vovô ainda mais bravo.
       As aulas estavam começando e a mãe da menininha, descobriu que estava esperando neném e precisava de repouso... e agora? Quem iria levar a netinha pra escola?

O vovô, mesmo meio bravo decidiu que  iria levar e buscar sua netinha que pra ele, não tinha nada de inha , para a escola...

     O tempo foi passando,  todo dia o vovô  e sua neta faziam o mesmo trajeto, indo e vindo pelas mesmas ruas e pelos mesmos lugares, naquele caminho havia uma pracinha com alguns brinquedos bem divertidos:  tinha balanço, escorrego e cangorra... A neta pedia todo dia e todo dia o vovô respondia: "não, não e não "
Durante o caminho a menininha enchia seu vovô de pergunta:

" Vovô, como a gente sabe se o cachorro é menino ou menina?"
"Vovô, por que as pessoas jogam lixo no chão?"
"Vovô, por que eu não posso ter um bichinho só pra mim?"

     O vovô, reclamava com a mãe da menininha: " se ela ficar pedindo e perguntando tudo não vou mais levar essa chatinha." 

A mamãe,que estava com o neném na barriga, pedia: "minha filha, vem quietinha com o vovô, obedece e não fica perguntando."

Para não irritar o vovô a menininha fazia um esforço gigante, as palavras vinham pela boca mas ela conseguia segurar com a mão, as perguntas voltavam em um gole seco e ficavam girando, girando,girando dentro da menininha, mas nada ela dizia.


 Um dia porém, o vovô parou na pracinha e disse assim:

" vamos parar um pouco aqui para descansar"  a menininha ficou sentada do lado do vovô, toda se mexendo cheia de vontade de brincar no escorrego, até que para sua surpresa o o vovô disse:

 "Enquanto eu descanso você vai brincar no escorrego, mas é rápido e quando eu falar acabou, é porque acabou."


A menininha saltava de tanta felicidade, escorregou muitas e muitas vezes, balançou outras tantas...


No dia seguinte, o vovô também estava cansado, e no outro dia de novo, e de novo, e de novo... enquanto descansava, sua netinha brincava e se divertia no parquinho.


Durante os descansos do vovô no banco da praça, surgiu um gato, que não saía de perto dele, todo  o dia que o vovô ia descansar ele e sua netinha brincavam com gatinho.


O vovô passou a levar comida para o gatinho, até que decidiram juntos que dariam um nome ao novo amigo, escolheram chama-lo de "mel" porque ele era da cor de um mel, a menina não se aguentou e  perguntou ao seu vovô. 

"Vovô, porque  não levamos ele pra casa?"


O  vovô com muita paciência respondeu: 

"Sua vovó é muito cri cri, deixa ele aqui, ele é o nosso gato que mora na nossa praça."


Esse virou o segredo da netinha e do vovô, antes o vovô achava que perderia o sossego com a chegada da sua neta entretanto ele ganhou, ganhou um gato, uma praça, uma netinha e um segredo.

 O caminho para casa ganhou cor, respostas,brincadeiras e muitas gargalhadas e para deixar a volta da escola ainda mais gostosas, esse vovô que aprendeu a amar sua netinha, comprava pão com a desculpa de levar para casa mas e pelo caminho eles sempre dividiam um pedaço.

A menininha cresceu e o vovô precisou ir descansar, mas o segredo deles continua guardado a 7 Chaves no coração da netinha do vovô.


Enviar um comentário

Mensagens populares