Diário de bordo- lição 1

   Era um dia de sol, mês de Janeiro e a cidade estava cheia de turistas por todos os lados. Durante uma viagem para uma cidade repleta de turistas seu campo de visão fica mega dividido.
   De um lado, você aprecia as belezas da cidade, do outro, você repara nos diferentes costumes, nas diferentes linguagens, nos jeitos engraçados; Tenta imaginar o que aquele casal de Norte americanos está conversando  e fica encantado com os filhos dos coreanos se divertindo pela cidade.
   No meio desses muitos campos de visão, uma situação me chamou a atenção. Era um casal de brasileiros com seus dois filhos, o menino,mais velho, estava de mãos dada com o pai, aparentava ter uns 6 anos de idade, a menina caçula,estava de de mãos dadas com a mãe.

Como a cidade estava cheia, eles não podiam andar todos ao lado do outro, então o pai foi a frente abrindo caminho, enquanto a mãe o seguia logo atrás. 

Em um certo momento o menino, olhou para trás, com uma das mãos fez o sinal de arma e com a boca fez sons de tiros e explosões em direção  a irmã, virou-se para frente e continuou sua andança.

   Sua irmã, ao receber os "tiros" começou  a chorar insistentemente, até que sua mãe olhou para baixo e perguntou:

-O que houve minha filha, já estamos chegando!

Com choro a menina respondeu:

-Eu morri mamãe, o Júnior(nome fictício) me matou!

A mãe sem entender muito bem e já cansada de tanto andar disse:

-Não minha filha, ele não te matou.

A menina insistiu.

-Matou sim mamãe, ele me matou!

A mãe já sem paciência disse:

-Cíntia*(nome fictício), acredite! Você está viva, eu estou falando com você, seu irmão não te matou, você está viva, e eu sei que está, tá bem?


A menina ainda parecia não acreditar muito bem, mas como sua mãe estava dizendo foi acalmando-se aos poucos. 


  Lembrei-me das vezes que ouvímos de pessoas que não somos capazes, ou em uma discussão somos chamados de burros e somos levados a acreditar que não temos valor algum.

Choramos  e vamos reivindicar com Deus:

-Ei,  será que você não está vendo que eu morri? Não está vendo que eu não  tenho valor? Será que você não vê que eu não sirvo para nada? Por que ainda estou aqui? Não há mais sentido pra mim.

E Deus com sua infinita misericórdia nos diz:

- O que você está dizendo? Por acaso não foi eu quem te criou? Eu sei o valor que você  Tem e sei quais são os planos que tenho para você. Acaso a opinião do mundo ao seu respeito é mais verdadeira que a Minha? Enxugue suas lágrimas, você está vivo e ainda há muito de Mim para se cumprir em você!!



Por isso, acredite! Deus sabe muito mais a nosso respeito do que nós mesmos!

Com carinho, 

Priscila Pincos
Enviar um comentário

Mensagens populares