Predestinados

   Era uma tarde quente de inverno,  sim isso mesmo que você leu,  quente de inverno, desde que a temperatura da terra aumentou mais 5 graus as coisas não tem sido como antes,  aliás algumas muitas coisas já não são como eram e eu já não sei até que ponto isso era bom ou ruim.  
   Minha cidade fica localizada no alto do monte B de região sudeste do meu país. Meus pais costumam me dizer que onde hoje é oceano já foi um dia uma cidade,  e que muitas pessoas acabaram morrendo com as mudanças que afetaram nosso Planeta, o mar invadiu e tomou de volta tudo o que um dia foi seu, aconteceram tsunamis horríveis e famílias inteiras não conseguiram escapar.
   Por conta dessas mudanças climáticas, tudo foi preciso passar por reajustes, templos religiosos ficaram sendo proibidos por conta da nova acomodação de espaço, foi criado um grande templo onde todas as pessoas de todas as religiões são livres para frequentar e cultuarem seus deuses; Alguns cristãos recusaram-se  a utilizar o templo e os cultos eram realizados clandestinamente em suas casas.
    Também aconteceram mudanças na educação e saúde, tendo apenas uma grande escola para cada região, assim como um único e gigantesco hospital, não ocorre super lotação por conta da divisão de marcas na população.
     Cada criança nascida em Tupin, nome do país onde eu moro,ganha uma marca ao nascer, essa marca significa o destino e tipo de vida que ela terá em Tupin,  desde a profissão, salário, casa e se poderia ter família ou não.
    Para que a população concordasse a presidente Elisa nos fez acreditar que as crianças seriam escolhidas por meio de sorteios para que não houvesse privilégio das classes elitizadas, mas não é bem assim que acontece na prática.
   Há muito suborno na distribuição das marcas  e a população pobre dificilmente ganhava a marca da águia que era o mais alto escalão da sociedade,  muitos de nós inclusive eu ganhamos a marca da formiga e eramos predestinados a servir o governo pelo resto de nossas vidas.
   Para que houvesse uma divisão de funções e melhor controle da população foram criadas quatro tipos de marcas: As crianças que recebem a marcar do bode, são destinadas a cuidar e morrer pelo reino, cuidam das nossas fronteiras e das nossas fontes de água doce que são motivos de guerra e ganância por outros países sobreviventes, alguns pais ao verem seus filhos com a marca do bode, sacrificavam-os jogando-os na direção leste do oceano, pois dessa forma seus filhos não seriam usados como instrumentos do governo.
    Outras crianças recebiam as marcas das formigas, essas seriam as operárias do reino, tendo direito apenas até 50% dos estudos,sendo responsáveis pela organização das cidades, e serviços para a população da marca da cigarra e das águias.
    A marca da cigarra são as crianças com destino de bobos da corte, eles são responsáveis por realizarem shows e diversão a população, caso não conseguissem desenvolver nenhum dom eram torturadas até a morte.
       Por fim a marca de águia que era a elite da sociedade, eles tinham direito a todo o estudo, saúde e shows, também eram responsáveis pelos cargos mais altos na política, diziam que os sorteios eram feitos de forma justa, mas dificilmente uma criança que tinha os pais formiga podia virar águia, 1 entre cada 20 crianças conseguia esse direito.
      Na escola, apenas a marca de bode não era aceita, as de formiga podiam concluir até metade dos estudos, as de cigarra tinhas aulas de canto e teatro e as de águia participavam do estudo completo, sendo a marca mais prestigiada e respeitada.
    Sempre fui uma boa aluna na escola, mesmo sabendo que não poderia concluir os estudos, recebia inúmeros elogios dos professores e por conta disso sofria alguns abusos dos colegas de turma que eram águias, minhas notas sempre eram maiores que as deles.
    Depois de bastante apanhar, chegava no meu último ano da escola, uma professora chamada Luíza, sempre me dava livros escondidos para que eu pudesse ler, esqueci de falar que os livros só eram distribuídos para as crianças águias, eu como uma simples formiga jamais teria o direito a leitura se Luíza não arriscasse sua vida por mim.
   Luíza também era formiga e para virar professora teve que passar por uma prova com 100 concorrentes e apenas 2 vagas destinadas a formigas, a outra vaga foi preenchida pela professora Lucy mas acho que ela esqueceu como era ser formiga e só parabenizava os jovens águias.
  Voltando a falar sobre meu último ano na escola, Luíza sempre chorava e dizia que era um desperdício eu não continuar meus estudos, meus pais diziam que eu devia aceitar meu destino e logo escolher uma profissão para mim.
   Eu confesso que também contava com a ajuda do meu amigo secreto Caetano, ele era um águia, mas só na marca mesmo, seu caráter era diferente dos demais, nos encontrávamos um dia sim outro não,na gruta abandonada perto do oceano, e por vezes ficávamos lendo livros, estudando e rindo com os pés encharcados pelas águas do mar.
  No meu último dia de aula, Caetano me presentou com livro feito por ele com nossas aventuras para que os guardas bodes não nos vissem na gruta, nenhuma palavra foi dita, ele apenas me entregou o livro, nos abraçamos e choramos.
   Mas e se algo dentro de mim me disser que isso não é pra mim?  E se eu tiver Certeza que eu não sou aquilo que dizem que sou, que não sou predestinada ao fracasso?!
   Meu nome é Rachel e esse é o início da minha história....
Enviar um comentário

Mensagens populares